20 de novembro de 2013

Que delícia retornar ao Rio em menos de um mês, hein?! Não é sempre que acontece esta proeza na vida corrida do dia-a-dia, mas cá estamos nós para mais dicas de viagem sobre a Cidade Maravilhosa, afinal, a metrópole tem uma infinidade de opções e cada visita traz uma experiência nova!

O motivo principal da viagem foi assistir ao show do Red Hot Chilli Peppers, minha banda do coração desde adolescente, do tipo tiete sabe? Daquelas que se emocionam e tudo, bem brega mesmo! Hahaha, #quemnunca? E de quebra ganhamos a praia de brinde no pacote, bom né?

Desta vez o hotel que eu havia indicado no post anterior (Everest, lembre aqui) estava lotado, aliás a cidade inteira estava lotada para o Fashion Rio, e escolhemos um hotel mais simples, em Ipanema mesmo, mas muitíssimo bem localizado, o San Marco (reserve aqui), que fica na rua mais movimentada do bairro, a Visconde de Pirajá, há duas quadras do posto 10. Dali, dá pra fazer quase tudo a pé, inclusive ótimas comprinhas no famoso “Quadrilátero do Charme”! Pelas redondezas as opções de bares e restaurantes são infinitas, e come-se de tudo que se pode imaginar. Deu pra experimentar várias opções sem repetir nenhuma escolha da trip anterior.

No primeiro dia, além de praia, claro, escolhemos jantar no irreverente Zazá Bistro, restaurante que já havia sido recomendado inúmeras vezes, mas por falta de tempo, só agora conseguimos conhecer de verdade. Só de pensar já fico com água na boca desejando o tartar de salmão e atum com chips de batata doce…ummm! A comida é sensacional, mas o ambiente é ainda mais incrível, super diferente, com cara de praia mesmo, os gringos adoram! O andar de cima é todo de tatame, todo mundo tem que entrar com os pés descalços. Poucas luzes, muitas velas, cores e frases compõem um ambiente super aconchegante.

O cardápio chama atenção pela quantidade de drinks criativos com ingredientes inusitados, como carambola com gengibre e hortelã, por exemplo. Dá vontade de experimentar todos mas os preços são meio salgadinhos, cada um custa em torno de R$ 23,00. Pedimos um Clericot, aquela bebida com espumante e frutas, serve 6 taças, vale à pena.

Para o prato principal fui de risoto de camarão grelhado com aspargos, muy beuno!

No segundo dia fomos à praia de novo #rata, e eu gosto de chegar bem cedinho, literalmente empurro o namorado da cama, porque o sol não espera, e no Rio o tempo vira de uma hora pra outra! O dia estava lindo em Ipanema, encontramos muitos amigos, delícia-delícia!

À noite, finalmente fomos à Barra da Tijuca, na famosa Cidade do Rock (onde acontece o Rock in Rio) pra assistir ao show do Red Hot, que fazia parte de um festival promovido pelo Banco do Brasil. O lugar é incrível, com uma estrutura inigualável no Brasil, fico muito feliz que além do Rock in Rio, outros eventos estejam acontecendo neste espaço, o público merece!

O show foi perfeito! A banda não me impressionou muito no RIR em 2011, mas desta vez foi exatamente como eu sonhava, emocionante, super presença de palco, tocaram todos os Hits!!! Público de 40 mil pessoas, sem tumulto, sem briga, só alegria, lindo lindo!

A única coisa que deixou a desejar foi o transporte no final do festival. A prefeitura do Rio de Janeiro não comunicou os taxistas. Andamos 3 km (oi?!), durante duas horas, pra encontrar um único carro que não poderia levar todo o grupo, por estarmos em 7 pessoas, e tivemos que deixar metade da turma pra trás. Deu tudo certo no final, mas fiquei muito decepcionada com o fato, que pelo que me parece acontece muito na região da Barra da Tijuca (Alow Banco do Brasil!).

E o #lookofthenight foi assim…

O cansaço do show nos derrubou e só sobrou energia para um almoço no Gula Gula, no dia seguinte. O restaurante fica há três quadras à direita do hotel, super pertinho. Também muito bem recomendado, uma delícia de lugar! Fui de salada grega pra desintoxicar a barriguinha, rs, e o boy pediu uma carne grelhada, tudo delicioso, leve, com preço razoável. Recomendadíssimo para o almoço antes ou depois da praia!

Domingo teve pouquinho sol, ótimo pra descansar na praia, e curtir uma banda instrumental na orla no final do dia.

À noite rolou pizza na Forneria São Sebastião, deliciosa, do ladinho do lado do hotel. Preço bem salgado pra uma pizzaria, e o cardápio tem pouquíssimas opções, mas o lugar é bem agradável e a sobremesa vale mais que a pizza #prontofalei.

Se eu engordei? Nadinha meninas! A andança a pé pelo bairro me fez manter o #shape em dia!

Quem acompanha o Viva Moda sabe que eu amo um festival, já postei vários por aqui. Muitas pessoas têm vontade de ir, mas com certo receio, medo da multidão. Eu sei que quando vemos pela TV, realmente, parece loucura estar no meio de tanta gente, mas é super tranquilo, crianças, idosos, famílias inteiras assistem aos shows numa boa, e mesmo que não se conheça todas as bandas é uma oportunidade de descobrir novas músicas. Pra mim, é a melhor forma de turismo porque além de assistir aos shows, que são emocionantes, podemos curtir o que a cidade oferece, vale muito à pena.

Espero que tenham gostado do meu curto roteirinho, e que seja útil para facilitar as suas trips ao Rio. Desta vez visitei poucos lugares porque precisava muito descansar, mas nas próximas prometo que vou sair pra outros lados!

Até a próxima dica de viagem, que pode ser lááá em outro continente, ou, por aqui mesmo, em Chapada dos Guimarães, o bom mesmo é viajar.

Imagens: Viva Moda/ Reprodução.