22 de janeiro de 2013

Gostando ou não os creepers vieram pra ficar.

E desbancaram os Sneakers, que demoraram muito para cair no gosto das mulheres, mas que viraram febre no inverno passado.

Os creepers apareceram pela primeira vez na Segunda Guerra Mundial, utilizados pelos soldados, por serem resistentes e conferirem firmeza ao andar.

Anos depois, na década de 50, os modelos apareceram na cena underground britânica, muito usados pelos Teddy Boys, rapazes que se inspiravam no vestuário da era eduardiana (rei Eduardo VII, na Inglaterra), com ternos engomados e compridos e gravatas estreitas. Circulavam pelos pubs de rock, e frequentemente envolviam-se em brigas, “envocadinhos” hein?!

Na década de 70 foi quando os creppers realmente ganharam as ruas, comercializados pela estilista Viviene Westwood. E finalmente, nos anos 90, viraram HIT da cena clubber, os pioneiros da música eletrônica.

Em 2011, Miuccia Prada repaginou modelos os de creepers, causando muita polêmica entre os fashionistas. Os modelos masculinos esgotaram em uma semana. A tendência parece ter sido bem aceita pelo mercado consumidor europeu, influenciando até as coleções nacionais do ano passado, o famoso “pradismo” nas passarelas brasileiras.

 

Agora, em 2013, a versão feminina parece ter vindo pra ficar, e causa mais polêmica do que antes. Muitas mulheres torcem o nariz para os creepers. O modelo dá a impressão de que os pés são maiores, e achata um pouco a silhueta. É preciso tomar cuidado com a composição dos looks, assim como os sneakers.

Desde a sua criação os creepers têm um pegada mais underground, mas ao mesmo tempo trazem um traço de elegância. Vale a pena arriscar combinações estilosas, que podem dar muito certo!

Minha dica é começar pelo modelo preto e usá-los com meias pretas, a cor causa menos impacto. Percebi que as meninas costumam combinar com meia calça preta também. 

Acho que pode ficar lindo com calça de alfaiataria, com um corte bem “sequinho”, ou com shorts de cós alto, tipo hot-pants.

Parecem confortáveis! Vou experimentar, e você?

Fotos: Reprodução.